POSICIONAMENTO 

Como o mindful eating se posiciona frente a alguns tópicos de extrema relevância nos dias atuais como o Comer Saudável, o Peso, a prática de Meditação, o sistema e segurança alimentar.

      Assim como para o The Center for Mindful Eating, essas mensagem também refletem nossos valores, nossa missão e visão e por isso gostaríamos de compartilhar aqui com vocês             

COMER SAUDÁVEL            

              É a posição do The  Center for Mindful Eating (TCME) que a alimentação saudável é uma alimentação prazerosa que atende às necessidades nutricionais. Utiliza a prática da atenção plena, trazendo intencionalmente a consciência para o ambiente interno e externo ao comer. Isso significa estar ciente do feedback do corpo sobre o que dá suporte a sua saúde, incluindo o prazer, e também as melhores evidências científicas disponíveis relacionadas à nutrição e às preocupações individuais com a saúde. A mistura de prazer e nutrição é importante para garantir consistência na alimentação saudável, além de otimizar a digestão, absorção e metabolismo dos nutrientes.

             

 

O TCME apoia a ingestão, sempre que possível, de alimentos íntegros e nutritivos. O TCME apoia a flexibilidade em relação às escolhas alimentares, incluindo a ingestão de alimentos adequados à ocasião. O TCME reconhece que

as escolhas individuais são afetadas por fatores que podem limitar as escolhas alimentares, como restrições econômicas, escolhas religiosas, geografia, tempo de vida e preferências individuais. Desenvolver um relacionamento saudável com os alimentos que considera as circunstâncias individuais ajuda a promover o bem-estar geral.         

PREOCUPAÇÕES COM O PESO
 

              O TCME compreende que a alimentação consciente apoia a saúde e o bem-estar. A prática da alimentação consciente desenvolve a consciência e honra a sabedoria interna que pode orientar as escolhas alimentares e dar sustentação à alimentação para o bem-estar. A alimentação consciente cultiva a conexão com sinais físicos, psicológicos e ambientais que podem afetar as decisões alimentares.

              O TCME não endossa nenhuma filosofia ou programa que inclua ou promova medidas ou procedimentos para perda de peso, porque as evidências não sustentam que ele aprofunde ou melhore a prática de Mindful Eating de um indivíduo.

              A intenção de uma alimentação consciente é permanecer no momento presente, promovendo a aceitação, o não julgamento e a curiosidade sobre a experiência direta de um indivíduo. Não é baseado em resultados e não promove nenhuma forma ou tamanho específico do corpo. Com base em pesquisas científicas, o TCME expressa cautela e preocupação em se envolver em exercícios de alimentação consciente para perda de peso. Um foco no peso e a estigmatização relacionada podem exacerbar problemas psicológicos, como culpa e vergonha, e podem manter os indivíduos presos em um ciclo alimentar desequilibrado.

PRÁTICAS FORMAIS DE MEDITAÇÃO
 

              O TCME endossa as práticas formais de meditação da atenção plena como valiosas para o cultivo e a prática da alimentação consciente e para a atenção plena na vida cotidiana. Ele apoia a conscientização da fome emocional e física e sinais de saciedade para ajudar a orientar as decisões sobre quando começar e terminar de comer.

 A prática de Mindfulness cultiva a atenção e a consciência dos pensamentos, sentimentos, corpo e todos os sentidos, sem julgamento. Encoraja a curiosidade e cultiva a compaixão, fornecendo assim uma base para uma alimentação consciente.

 O Center for Mindful Eating define práticas formais de meditação Mindfulness como reservar um tempo específico em silêncio, onde - momento a momento - dedicamos toda a atenção aos nossos pensamentos, sentimentos e sensações físicas, a fim de cultivar a concentração, o discernimento e a compaixão.


SISTEMAS ALIMENTARES SUSTENTÁVEIS                          
A alimentação consciente e a sustentabilidade têm valores sobrepostos, pois estimulam a conscientização e incentivam o tratamento humano de todos os seres, garantindo a proteção de animais, agricultores, trabalhadores, consumidores e comunidades.

              A alimentação consciente incentiva os indivíduos a estarem cientes de nosso complexo sistema alimentar. Convida a participação no consumo ético e no cultivo e pesca sustentáveis de frutos do mar. Alguém que come conscientemente toma consciência da interconexão da terra, dos seres vivos e das práticas culturais e do impacto de suas escolhas alimentares nesses sistemas.

              O The Center for Mindful Eating apoia um sistema alimentar sustentável, porque acreditamos que é uma maneira de produzir alimentos, mantendo um ecossistema saudável que tem um impacto negativo mínimo no meio ambiente. O The Center for Mindful Eating apoia as infra-estruturas locais de produção e distribuição, ajudando a disponibilizar alimentos nutritivos, acessíveis e acessíveis a todos.


INSEGURANÇA ALIMENTAR     

A insegurança alimentar é uma questão global que os profissionais de áreas relacionadas à saúde, alimentação e nutrição precisam conhecer. As preocupações passadas e atuais de insegurança alimentar de um indivíduo podem promover uma alimentação não saudável, irracional ou baseada no medo. O Center for Mindful Eating incentiva os membros a tomar medidas para reconhecer e, se possível, aliviar a insegurança alimentar em sua área local, como uma maneira de beneficiar sua comunidade e aprofundar suas práticas alimentares conscientes.

Aprendendo mais sobre insegurança alimentar

Insegurança alimentar significa falta de acesso a alimentos suficientes para uma vida ativa e saudável. O Center for Mindful Eating acredita que a conscientização da presença da insegurança alimentar é o primeiro passo para superar este problema global. 

 

Diretrizes de Boas Práticas para Professores de Mindful Eating

Para se tornar um profissional que pode começar a incorporar mindful eating na prática clínica, orientamos que minimamente você precisa:

  1. Ter concluído, como participante, um grupo de Mindful Eating de no mínimo 8 semanas de um protocolo com evidência científica e reconhecido pelo TCME, com profissional habilitado.

  2. Compromisso com a prática pessoal regular de mindfulness

  3. Ter compromisso com a educação continuada com professores experientes em Mindfulness e Mindful Eating em cursos, palestras, congressos, jornadas, retiros de prática ou treinamento.

  4. Compromisso com supervisão anual com professores experientes de Mindful Eating

  5. Ter sua base de conhecimento firmada no intuitive eating, health at every size, neutra em relação ao peso e abordagem não dietética/não prescritiva da alimentação.

 

Para se tornar um instrutor, ou seja, poder facilitar programas de Mindful Eating, você precisa, além dos itens anteriores:

  1. Ter feito uma formação completa em protocolo com evidências científicas e que siga os guidelines internacionais como o Mindfulness Based Eating Awareness Training (MBEAT), Mindfulness Based Eating Solution (MBES - Eat for Life), Mindful Eating - Conscious Living (ME-CL). Cada um desses protocolos tem um público alvo e um itinerário de formação que obrigatoriamente inclui a participação do protocolo que se quer facilitar como pessoa física e para prática pessoal, supervisão do primeiro grupo facilitado como instrutor, retiro/programa de formação.

  2. Retiro anual de silêncio maior que 5 dias

 

Essas diretrizes foram criadas para assegurar que você consiga realmente facilitar a mudança em seus pacientes e alunos. Às vezes pode parecer um caminho longo, porém passa mais rápido do que imaginamos. Além disso, acreditamos no CBME que os profissionais que procuram as intervenções baseadas em mindfulness e mindful eating vêm em busca de mudanças reais para ajudar seus pacientes e essas mudanças são advindas da prática e da formação bem edificada e não da velocidade que se obtém um certificado. 

Leitura adicional:

Crane, RS, Eames, C., Kuyken, W., Hastings, RP, Williams, JM, Bartley, T. et al. (2013) Desenvolvimento e validação das intervenções baseadas na atenção plena – critérios de avaliação do ensino (MBI: TAC). Assessment, 20, 681-688.
Crane, RS, Kuyken, W., Hastings, RP, Rothwell, N., Williams, JMG (2010) Treinando os professores para entregar intervenções baseadas na atenção plena: Aprendendo com a experiência do Reino Unido. Mindfulness, 1, 74-86.
Cullen, M. (2011). Mindfulness-Based Interventions: Um fenômeno emergente. Mindfulness, 2, 186-193.
Rede de Organizações de Formação de Professores da Mindfulness (www.mindfulnessteachersuk.org.uk): Guia de Boas Práticas para Professores (Abril de 2015)
Woods, SL (2009). Profissionais de formação em mindfulness: O coração do ensino. Em F. Didonna (Ed.), Clinical Handbook of Mindfulness (páginas 463-475). Nova York: Springer.

 

 

 

Centro Brasileiro de Mindful Eating

Mindful Eating Brasil

Um resgate a consciência ao comer e ao amor pela comida